No universo corporativo somos bombardeados por uma oferta cada vez maior de informação, geralmente de forma resumida e desconexa. Por isso a tendência é que se priorize a área com a qual estamos diretamente envolvidos.

O que pode passar despercebido, até pelo tempo cada vez menor que temos para dedicar à análise e reflexão do que acessamos, é que conteúdos distintos podem ser recombinados de forma a adquirirem um novo sentido e maior relevância.

Um dos termos que definem esta forma de percepção do todo é o Nexialismo, cunhado no livro de ficção científica “Voyage of the Space Beagle” de Alfred Elton Van Vogt, que trata de uma espaçonave cuja tripulação é composta por especialistas em diversas áreas de conhecimento e um “nexialista” que possui conhecimento abrangente e sabe buscar as respostas para os problemas criando soluções que façam nexo. Desnecessário dizer que durante a missão é sempre o nexialista quem resolve as situações mais dramáticas.

O Nexialismo integra as várias disciplinas que compõem o conhecimento humano, de modo que façam nexo entre si. Desta forma se reduz a contaminação da análise do problema pelo vício de origem, no qual cada um acha que a solução está principalmente relacionada à sua área de atuação.

Partindo para um exemplo concreto, a solução do problema da violência, em uma visão unidirecional, poderia estar focada apenas na prisão dos criminosos. No conceito do Nexialismo, passaria pela integração de áreas tão distintas quanto às da educação, inclusão social, arquitetura urbana e psicologia. Além é claro, do combate ao crime em si.

Em marketing, esta cultura transcenderia a visão puramente publicitária, voltada para a criação e veiculação de peças de campanha, passando a buscar respostas e oportunidades entre os diversos departamentos da empresa (diretoria, marketing, produção, compras, financeiro, etc), gerando um processo de comunicação integrado e com o comprometimento de todos os envolvidos.

Em resumo, num ambiente com tanta informação disponível, mais importante do que acumular conhecimento, é ter a capacidade de encontrar, identificar e combinar as partes que compõem a solução do problema, mesmo que elas estejam em áreas muito distintas do seu foco central.

 

Compartilhe